Investimento: Qual a forma mais simples de começar?

Quem deseja começar a investir em criptomoedas deve saber que existem diversas formas de dar os primeiros passos, porém, o caminho mais cauteloso, geralmente, é o que promete resultados mais sólidos.

Desde que as criptomoedas se tornaram os investimentos preferidos de quem não tem aversão a riscos, cada vez mais pessoas olham para elas como uma oportunidade de fazer dinheiro de uma forma fácil. Porém, para quem não toma certas precauções, o mercado de criptos pode causar sustos consideráveis.

Qual a forma mais simples de começar um investimento?

investimento

Quem deseja começar com o pé direito e ter mais chances de ter bons resultados, pode se guiar pelas 6 dicas abaixo:

1 – Antes de começar, estude um pouco

Até quem já está acostumado a investir valores altos no mercado tradicional deve realizar uma pesquisa e buscar conhecimentos sólidos sobre as criptomoedas, seus fundamentos, possibilidades de lucro e riscos de prejuízos.

Para começar, é indicado que os investidores leiam o White Paper de Satoshi Nakamoto (criador do Bitcoin).

O conteúdo é direto e tem apenas 8 páginas, que explicam o porque e para que o Bitcoin foi criado. Como essa é a principal criptomoeda, ter esse entendimento serve como fundamento para compreender todas as outras.

Depois de ter uma base sobre esse tipo de investimento, é interessante que sites como Financial Move e outros especializados no mercado de criptomoedas sejam acompanhados para manter o investidor atualizado sobre tudo que acontece no mundo das moedas digitais, a fim de prever oportunidades e riscos que podem se manifestar ao longo dos dias.

2 – Escolha uma Exchange

A Exchange funciona de forma parecida com um banco digital.

É através dela que o investidor poderá comprar, vender, negociar e transferir seus criptoativos.

Para ter certeza que esse “banco” não é uma empresa de fachada, que não faz parte de um propósito criminoso ou que não é uma instituição insegura, é importante tomar algumas precauções antes de abrir contas e, principalmente, antes de realizar depósitos.

As principais sugestões são que, na hora da escolha, o investidor dê preferência para empresas que já possuam algum tempo de mercado, uma carteira de clientes considerável, boa taxa de solução de problemas em sites como o Reclame Aqui, que responda seus clientes e seja ativa nas redes sociais, e que disponibilize dados claros sobre endereço, telefone, taxas, tarifas e política de privacidade.

Escolher empresas com sede no Brasil também é uma forma de se manter juridicamente mais seguro, caso seja necessário resolver algum problema legal junto à instituição.

3 – Comece investindo aos poucos

Especialistas de criptos divulgaram, recentemente, no site HB Marketing, recomendações para que os investidores iniciantes dêem preferência para aplicações de baixo valor ou que representem um pequeno percentual do seu capital disponível.

Esse cuidado é importante para que o investidor não tenha grandes perdas caso não consiga operar seu capital da melhor forma, no começo.

Conforme os dias vão passando, a tolerância ao risco, as atualizações através de leitura e o próprio uso das plataformas, carteiras e exchanges vão fazendo com que seja mais seguro  lidar com valores, ou percentuais de capital, maiores.

4 – Busque aprender sobre ETFs

ETF é a sigla para Exchange Traded Fund.

No Brasil, muitas vezes, ETFs são chamados de Fundos de Índice, que nada mais são do que investimentos que se baseiam em um indicador de referência, que será replicado pelas aplicações do investidor.

O principal ETF de criptos no Brasil é o Hashdex Nasdaq Crypto Index Fundo de Índice (HASH11), que tem como base o Nasdaq Crypto Index.

Quem faz investimentos em ETFs não está fazendo a compra de criptos, mas investindo capital em uma previsão de mercado, o que faz com que os riscos sejam menores e a exposição ao mercado, também.

5 – Antes de começar, entenda as instabilidades das moedas digitais

Um dos maiores perigos para quem pretende investir em criptomoedas é não saber lidar com a própria ansiedade e com o medo de perder dinheiro, por isso, investidores iniciantes ou com perfil mais conservador devem estar muito bem informados sobre o fato de que o mercado de criptos é um dos mais voláteis que existe, pois são muitos os fatores que podem ocasionar altas ou baixas nos valores dos ativos.

Quem investe em moedas digitais precisa compreender que é possível investir certo valor em uma fração de Bitcoin (por exemplo) e, poucas horas depois, ver que o valor despencou milhares de reais.

Se a primeira reação que vem à mente é vender os ativos que estão perdendo valor, é preciso que o investidor repense se esse mercado lhe serve, pois agir dessa forma pode levá-lo a perdas significativas, em muito pouco tempo.

Conseguir controlar as emoções (principalmente, o medo e a ansiedade) é essencial para que seja feita uma leitura correta a respeito da movimentação do mercado, de forma que o investidor consiga compreender qual é a hora certa de comprar, vender ou apenas, manter seu portfólio da maneira que está naquele momento.

6 – Comece pelas principais moedas

Guilherme Baumworcel, professor de Gestão Financeira do Ibmec-RJ e outros especialistas do mercado aconselham os investidores a começarem suas compras de criptos por moedas digitais mais consolidadas como Bitcoin e Ethereum.

Apesar de serem mais voláteis que ativos tradicionais, essas criptos já fazem parte de grandes portfólios de investidores milionários (ou bilionários), o que indica que não seria tão fácil que elas perdessem totalmente seu valor, do dia para a noite.

Já as altcoins (todas as criptomoedas “menores”) precisam ser estudadas de forma individual antes de receberem aplicações financeiras de investidores iniciantes.

Algumas já estão mais populares como a Solana (SOL), a Polkadot (DOT), a Sandbox (SAND) e a Decentraland (MANA), mas a grande maioria ainda representa mais riscos do que grande parte dos investidores iniciantes poderia ou desejaria assumir (o que não significa que eles não possam fazer algumas experiências).

Considerações Finais

Começar a investir em criptomoedas é tão fácil quanto abrir uma conta no banco, depositar, transferir e movimentar valores.

Na prática, tudo é muito simples e as exchanges estão criando painéis cada vez mais intuitivos para que, mesmo iniciantes, se sintam confortáveis em relação às operações.

A grande questão é que, essa facilidade prática pode fazer com que muitas pessoas avancem nesse mercado sem ter conhecimento o bastante, e fazer isso sem estudo, pesquisa e preparação emocional e psicológica pode gerar resultados indesejados.

Quem quer começar da forma correta deve fazer o possível para aplicar, não apenas as dicas deste conteúdo, mas acompanhar tudo que for possível sobre o mercado de criptos, aprendendo sobre segurança digital, estratégias de compra e venda, formas de negociação disponíveis no mercado e se mantendo atualizado sobre os acontecimentos mundiais que podem impactar os valores e a segurança dos criptoinvestimentos.

Você gostou desse conteúdo?

Se você extraiu informações interessantes a partir deste texto, compartilhe-o nas suas redes e ajude a levar informação de qualidade adiante.

 

Analice Gomes é Jornalista e redatora, sendo presente na área ha anos atuando em variso sites na Internet. Aqui ela é responsavel por varias seções de noticias sempre com seu toque especial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.